Ranolfo Vieira assume como governador do Rio Grande do Sul

"Não me inquietam os desafios. Assumo serenamente", essas foram as primeiras palavras de Ranolfo Vieira Júnior (PSDB) ao assumir oficialmente como o governador do Rio Grande do Sul, em ato na Assembleia Legislativa, na tarde desta quinta-feira. Ele lembrou que ser vice-governador ao lado de Eduardo Leite foi estar em "uma sala de aula".




Destacou que, mesmo com 36 anos no serviço público, como vice e como secretário, acredita ter sido "um bom discípulo de um jovem mestre", em referência a Leite, que tem 38 anos.

Ao longo dos 20 minutos de discurso, ele destinou boa parte do tempo para lembrar as ações do governo, em especial, as medidas relacionadas ao ajuste fiscal, que, segundo ele, é o mais facilmente "desmontável". Reforçou que a gestão 'Eduardo Leite/Ranolfo Vieira Júnior' ainda tem nove meses pela frente. "Será um tempo de permanente continuidade. Estaremos sempre olhando para além do dia 31 de dezembro de 2022 (quando acaba a gestão)", enfatizou.

Em seu discurso, fez elogios a Eduardo Leite.


E aproveitou para dizer que leva dois trófeus dessa relação: o da lealdade, com a qual serviu ao governo; e o do convívio com um estadista, no caso de Leite. Disse que estará ao lado da Assembleia, no prédio sede do Piratini, e que a proximidade com o Legislativo não seja apenas simbólica. "Quero que continuemos a andar de mãos dadas", enfatizou.


Rito da posse


Pontualmente às 17h, o delegado Ranolfo Vieira Júnior (PSDB) chegou à presidência da Assembleia Legislativa para a solenidade de posse como governador do Estado. O ato ocorre em função da renúncia de Eduardo Leite, que pretende concorrer à presidência da República, e deixou o cargo às 16h30min. Logo na chegada, Ranolfo ressaltou sua trajetória e a preparação para assumir o cargo. Às 17h30min, na tribuna da Casa, ele fez o juramento, como exige o protocolo.


Fonte: Correio do Povo